Usuários... Ah!, usuários...

Como um administrador de rede não vai se irritar com os usuários da mesma? É extremamente complicada a relação usuário-administrador em redes informatizadas. A dificuldade ocorre porque os usuários querem ter liberdade para trabalhar sem serem importunados (aliás, todos queremos ter liberdade) e o administrador quer ter os computadores que administra funcionando sem problemas.

Posted by Hµ63Z on

Como um administrador de rede não vai se irritar com os usuários da mesma? É extremamente complicada a relação usuário-administrador em redes informatizadas. A dificuldade ocorre porque os usuários querem ter liberdade para trabalhar sem serem importunados (aliás, todos queremos ter liberdade) e o administrador quer ter os computadores que administra funcionando sem problemas.

Até esse ponto, os dois querem a mesma coisa, porque os usuários não querem parar de trabalhar por um problema em suas máquinas. Mas quando a questão entra no ponto em que o administrador informa aos usuários para não instalarem programas que não tenham passado pela sua homologação, a relação torna-se um tanto instável. Os usuários acreditam que o administrador está tirando-lhe a liberdade de, por exemplo, ouvir músicas on-line ou assistir vídeos em tempo real por pura implicância.

Muitas vezes é necessário tirar-se alguns “direitos” dos usuários para manter o sistema funcionando perfeitamente. E não enganem-se os usuários achando que um software anti-vírus, um anti-spyware e um firewall vai manter sua segurança na máquina. Não existe sistema de segurança que possa evitar que uma falha do sistema (conhecidos “bugs”) sejam usados de forma maliciosa se um usuário desapercebidamente dá autorização para aquele sistema funcionar.

Por essa razão os administradores de redes e de sistemas (conhecidos “admins”) decidem fechar a porta da rede para arquivos de música, vídeos, programas e compactados. Às vezes fecham geral o acesso (mas isso já acho exagero) e só liberam o que é realmente necessário. Claro que fechando tudo, acabas tendo funcionários estressados e sentindo-se oprimidos.

Aí cabe o bom censo de cada admin. Seus usuários tem que ter certa liberdade para ter um pouco de lazer naqueles poucos minutos em que não estão trabalhando. Mas também cabe ao usuário entender que a empresa não é sua casa e que tem certas coisas que não cabem serem feitas nos computadores da empresa.

Se um usuário quer bichar todo o seu computador de casa, problema dele. Mas não venha exigir direitos de bichar os computadores da empresa. Políticas de uso do sistema informático da empresa foram feitos para garantir que o computador do usuário esteja funcionando quase em tempo integral para seu trabalho e não para proibí-lo de se divertir com o mesmo.

Enfim… a relação usuário-administrador é quase tão complicada quanto a de irmão caçula com o irmão mais velho. O mais velho se sentindo responsável pelo bem estar do mais novo, que encara o mais velho como um ditador.

Teria uma maneira de amenisar essa relação? Acredito que sim… com conversas, palestras, cursos internos, explicações, explicações e mais explicações, com muita paciência do admin para com os usuários da rede. Como um tutor ensinando suas crianças a entenderem como o mundo funciona e como pode ser perigoso para quem não está ciênte disso.

Amigos “tutores” de rede… muita paciência com suas “crianças” para que se tornem seus companheiros e não “adolecentes rebeldes”... Pensem nisso…


Comentários

  1. Não adianta! O negócio é fechar todas as portas e só liberar internet por proxy como era na Atento. Máquinas em uma empresa são para trabalhar, não para se divertir! Ditadura em rede é o meio mais eficiente de se manter tudo funcionando.

    Vai por mim, já tentei dar as palestras, eles nunca levam a sério a menos que os faça assinar um termo de responsabilidade que ferra com eles caso algo de errado na rede.

    Fazer o que, somos todos capitalistas e queira ou não queira, o neo-liberalismo parte do consumidor e não dos governantes, logo, ninguém pensa no todo e sim, apenas no que é seu.

    O mundo está mesmo doente…

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.

    



Comentários

  1. Não adianta! O negócio é fechar todas as portas e só liberar internet por proxy como era na Atento. Máquinas em uma empresa são para trabalhar, não para se divertir! Ditadura em rede é o meio mais eficiente de se manter tudo funcionando.

    Vai por mim, já tentei dar as palestras, eles nunca levam a sério a menos que os faça assinar um termo de responsabilidade que ferra com eles caso algo de errado na rede.

    Fazer o que, somos todos capitalistas e queira ou não queira, o neo-liberalismo parte do consumidor e não dos governantes, logo, ninguém pensa no todo e sim, apenas no que é seu.

    O mundo está mesmo doente…

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.

    




Comentários

  1. Não adianta! O negócio é fechar todas as portas e só liberar internet por proxy como era na Atento. Máquinas em uma empresa são para trabalhar, não para se divertir! Ditadura em rede é o meio mais eficiente de se manter tudo funcionando.

    Vai por mim, já tentei dar as palestras, eles nunca levam a sério a menos que os faça assinar um termo de responsabilidade que ferra com eles caso algo de errado na rede.

    Fazer o que, somos todos capitalistas e queira ou não queira, o neo-liberalismo parte do consumidor e não dos governantes, logo, ninguém pensa no todo e sim, apenas no que é seu.

    O mundo está mesmo doente…

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.