Previsível ou não?

Ontem eu assisti ao filme “Minority Report”, do genial Steven Spilberg, com Tom Cruise. É um bom filme de ação, pra quem gosta de correria e gritaria. Para quem gosta de pensar…

Posted by Hµ63Z on

Ontem eu assisti ao filme “Minority Report”, do genial Steven Spilberg, com Tom Cruise. É um bom filme de ação, pra quem gosta de correria e gritaria. Para quem gosta de pensar e acredita em destino (que todos temos um destino já escrito e imutável) pode até fazer pensar, mas esse não é meu caso.

No filme, tanto o ex-policial Anderson quanto o diretor do “pré-crime” têm a chance de mudar seus destinos, apesar da crença em que o sistema judiciário teria tornado-se impecável e difícil de burlar, uma vez que os criminosos eram presos antes mesmo de terem cometido o crime.

O que deixa a pensar o filme é:

  1. Existe previsão do futuro?

Sou muito cético, na maioria do tempo, e acho que prever uma situação baseando-se em tendências (como por exemplo, prever uma queda do dólar), com fatos corroborando com sua previsão pode ser possível. A mesma coisa serve para prever uma reação de uma pessoa a uma situação, quando você a conhece.

Prever um fato que ocorrerá horas, dias, ou meses à frente acho um tanto fantasioso. Pessoas são imprevisíveis na sua previsibilidade. Isto é, apesar de sabermos como a maioria dos seres humanos agem em certas situações e até com precisão como certa pessoa próxima a você reagirá, essa pessoa pode, de última hora, agir totalmente diferente do que sua tendência dizia.

Acho que isso é que nos torna tão especiais. Não podemos saber como vamos reagir ao, por exemplo, ver a própria esposa na cama com outro homem. A maioria dos homens diria que mataria ambos, mas quando está na situação… faria mesmo isso? Não se sabe.

Outra questão que o filme deixa:

  1. O crime faz parte do ser humano?

As regras da sociedade civilizada humana leva em conta regras que a maioria dos indivíduos seguem. Leis refletem costumes e costumes nada mais são do que constituições da sociedade.

A 60 anos atrás era costume casar as filhas cedo. Uma menina com 20 anos que não tivesse casada já tinha “ficado para titia”, isto é, não se casaria mais, estava velha para encontrar um marido. Enquanto isso, os rapazes casavam-se mais tarde, quando já podiam sustentar sua esposa (com cerca de uns 20 a 25 anos).

Ou seja, era muito comum um rapaz de 25 anos casar-se com uma menina de 14. Isso não era pedofilia, era casamento!

Da mesma forma, quem não nascia abastado, tinha que começar a trabalhar bem cedo (meu pai começou a trabalhar com 12 anos, mas haviam casos em que a criança começava ainda mais cedo). Eram trabalhos tidos como “bicos” (como engraxate ou “boy” de alguma firma), mas não era “trabalho infantil”.

Ou seja, as regras da sociedade civilizada é mutável, como os destinos dos seres humanos. No entanto, o crime sempre esteve presente na sociedade e sempre estará. Isso acontece justamente por sermos seres pensantes.

Animais irracionais não sofrem frustrações, pois eles não esperam que algo ocorra. Por não pensarem, vivem apenas o momento. Sentem dor, podem até ficarem tristes ou entediados, mas sentir mágoa, rancor, ódio ou frustração não ocorre.

Esses sentimentos dependem do pensar, de ter uma forte constatação da relação causa/efeito, que depende, por sua vez, de uma memória prolongada.

Esses sentimentos é que causam os crimes (passionais ou não), a relação causa/efeito eu listaria como a principal. E isso faz parte do ser humano, pois nós pensamos. Portanto, o crime não tem solução, não tem como evitar.

Mas tem como ser mais eficiente na punição desses criminosos, ensinando-lhes como fazer parte da sociedade e como evitar seu ímpeto criminoso.

Como isso pode ser feito? Já inventaram muitas formas de punir maus cidadãos, alguns eficientes, outros nem tanto. Não saberia como fazer essa tarefa, mas sei que a forma brasileira está muito longe disso. Nossas prisões têm tornado-se “Universidades do Crime”. Um sujeito entra na prisão como maconheiro e sai como assassino pistoleiro…

Mas é a sociedade que temos… Quem não quer virar ermitão, tem que estar preparado para ela. O caso é que eu não sei se estamos preparados para nós mesmos…


Comentários

  1. Olá Hugen,

    Achei muito bacana este seu texto e comento por que quando vi Minority Report achei que seria uma chatice, mas me rendi e acabei gostando da mensagem do mesmo. Sou cinemaníaca e vejo de tudo um pouco. Mas tenho certa resistência aos filmes de Steven Spielberg. E a “mensagem” que o filme passa é legal, nos faz refletir, e devemos saber que independe de termos algo traçado ou não, quem faz o nosso hoje, o nosso ontem e o nosso amanhã, somos nós mesmos. Temos capacidade mesmo que muitas vezes não percebemos de dar os rumos para a nossa caminhada. Livre Arbítrio.

    De fato nossa sociedade é mutável de fato, mas nem em todos os aspectos, hoje aos 32 aninhos, “brincando” ... fiquei como muitos dizem ainda, para titia. E literalmente já que sou cercada de 5 sobrinhos e nenhum casamento até agora. Mas o bem estar consigo próprio é o que mais vale pra mim.

    Já em relação sua citação aos animais, cabe a mim dizer apenas que discordo.

    Até breve.

    Adriana

    Srta Dona Adri,

    Hoje em dia as mulheres estão casando e constituindo família cada vez mais tarde... Isso é uma tendência mundial, onde as mulheres primeiro querem estar profissionalmente satisfeitas para, só então, partir para a constituição de uma família. As "Titias" de antigamente se achavam velhas para casar com 20 anos. Hoje as mulheres se acham muito novas para ter filhos aos 25 anos... Vejo hoje colegas de trabalho com cerca de 30, 35 anos começando a pensar em constituir família.

    Como disseste, estar bem consigo é o que importa...

    Hµ63Z

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.

    



Comentários

  1. Olá Hugen,

    Achei muito bacana este seu texto e comento por que quando vi Minority Report achei que seria uma chatice, mas me rendi e acabei gostando da mensagem do mesmo. Sou cinemaníaca e vejo de tudo um pouco. Mas tenho certa resistência aos filmes de Steven Spielberg. E a “mensagem” que o filme passa é legal, nos faz refletir, e devemos saber que independe de termos algo traçado ou não, quem faz o nosso hoje, o nosso ontem e o nosso amanhã, somos nós mesmos. Temos capacidade mesmo que muitas vezes não percebemos de dar os rumos para a nossa caminhada. Livre Arbítrio.

    De fato nossa sociedade é mutável de fato, mas nem em todos os aspectos, hoje aos 32 aninhos, “brincando” ... fiquei como muitos dizem ainda, para titia. E literalmente já que sou cercada de 5 sobrinhos e nenhum casamento até agora. Mas o bem estar consigo próprio é o que mais vale pra mim.

    Já em relação sua citação aos animais, cabe a mim dizer apenas que discordo.

    Até breve.

    Adriana

    Srta Dona Adri,

    Hoje em dia as mulheres estão casando e constituindo família cada vez mais tarde... Isso é uma tendência mundial, onde as mulheres primeiro querem estar profissionalmente satisfeitas para, só então, partir para a constituição de uma família. As "Titias" de antigamente se achavam velhas para casar com 20 anos. Hoje as mulheres se acham muito novas para ter filhos aos 25 anos... Vejo hoje colegas de trabalho com cerca de 30, 35 anos começando a pensar em constituir família.

    Como disseste, estar bem consigo é o que importa...

    Hµ63Z

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.

    




Comentários

  1. Olá Hugen,

    Achei muito bacana este seu texto e comento por que quando vi Minority Report achei que seria uma chatice, mas me rendi e acabei gostando da mensagem do mesmo. Sou cinemaníaca e vejo de tudo um pouco. Mas tenho certa resistência aos filmes de Steven Spielberg. E a “mensagem” que o filme passa é legal, nos faz refletir, e devemos saber que independe de termos algo traçado ou não, quem faz o nosso hoje, o nosso ontem e o nosso amanhã, somos nós mesmos. Temos capacidade mesmo que muitas vezes não percebemos de dar os rumos para a nossa caminhada. Livre Arbítrio.

    De fato nossa sociedade é mutável de fato, mas nem em todos os aspectos, hoje aos 32 aninhos, “brincando” ... fiquei como muitos dizem ainda, para titia. E literalmente já que sou cercada de 5 sobrinhos e nenhum casamento até agora. Mas o bem estar consigo próprio é o que mais vale pra mim.

    Já em relação sua citação aos animais, cabe a mim dizer apenas que discordo.

    Até breve.

    Adriana

    Srta Dona Adri,

    Hoje em dia as mulheres estão casando e constituindo família cada vez mais tarde... Isso é uma tendência mundial, onde as mulheres primeiro querem estar profissionalmente satisfeitas para, só então, partir para a constituição de uma família. As "Titias" de antigamente se achavam velhas para casar com 20 anos. Hoje as mulheres se acham muito novas para ter filhos aos 25 anos... Vejo hoje colegas de trabalho com cerca de 30, 35 anos começando a pensar em constituir família.

    Como disseste, estar bem consigo é o que importa...

    Hµ63Z

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.