Fim de ano, fim de festa...

Fim de ano costuma ser o fim da festa, ou seja, tem-se diversas festas para comemorar as datas de Dezembro, amigos secretos para fazer confraternizações e renovar o espírito de amizade entre colegas de trabalho que, nem sempre, foram muito legais durante o ano. No fim, todos acabamos pensando em como o ano foi bom ou ruím para cada um de nós.

Posted by Hµ63Z on

Fim de ano costuma ser o fim da festa, ou seja, tem-se diversas festas para comemorar as datas de Dezembro, amigos secretos para fazer confraternizações e renovar o espírito de amizade entre colegas de trabalho que, nem sempre, foram muito legais durante o ano. No fim, todos acabamos pensando em como o ano foi bom ou ruím para cada um de nós.

Esse é o ponto: fazer balancete do ano e saber se nossas emoções ficaram no lucro ou no prejuízo. E não é difícil um erro de cálculo mostrar-te que ficaste no prejuíso quando, na verdade, ficaste no lucro.

Ao longo deste ano ganhei muita coisa, perdi outras e tive que mudar alguns planos algumas vezes. Para alguns só algumas perdas e algumas mudanças de plano podem sacrificar um ano todo. No entanto, eu não vejo assim.

Ano passado eu trabalhava em uma empresa onde eu não tinha possibilidade de crescimento, não tinha motivação para trabalhar e meus chefes diretos eram merdas esculpidas para parecerem gente. Eu ficava chateado da minha situação, pois além de ter muitas dívidas (como todo brasileiro), tinha um trabalho massante e sem futuro. Me sentia tão merda quanto meus chefes diretos (mesmo sabendo que não era).

Esse ano comecei um trabalho novo, na atual empresa em que trabalho. Ganhei confiança à medida que minhas sugestões eram ouvidas e, em sua grande maioria, atendidas sem muitos rodeios. Melhorei e agilizei o trabalho dos colegas, criei novas tecnologias que facilitaram o gerenciamento da rede e de seu uso e, com muito suor, conquistei a confiança dos colegas.

Já em outra área, ganhei conhecimento com a nova função, conseguindo espaço na comunidade de Software Livre, sendo chamado para palestrar e, até ganhando uns trocados com isso.

Em outro campo ainda, meu relacionamento com minha esposa e meus filhos não era ruím, mas melhorou muito mais depois que comecei a analisar minhas ações junto a eles. Ficou uma relação ainda mais forte e menos conturbada. Claro que discussões existem, afinal, “Família, família… nunca perde essa mania…” [Titãs]...

Coisas que deram errado, sem a menor possibilidade de se contornar e/ou corrigir não houveram… Um ou outro percauso na empresa, um ou outro em casa, mas tudo pode ser resolvido ou está em vias de ser resolvido.

Resultado de tudo isso: Minha esposa está muito mais alegre e carinhosa comigo, meus filhos estão super agarrados em mim e a empresa me deu uma boa gratificação de fim de ano (prova do reconhecimento do trabalho que faço)...

Fechando o cálculo no azul… 2005 me deu lucro (não monetário, pois continuo com dívidas – como todo brasileiro – mas um grande lucro emocional), e espero lucrar muito mais no ano de 2006!

Para todos um ótimo Natal e um ano novo cheio de lucros!


Comentários

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.

    



Comentários

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.

    




Comentários

Comente

Digite seu comentário abaixo. Os campos marcados * são necessários. Você deve visualizar o seu comentário antes de finalizar a postagem.